Também pode lhe interessar:

Qual a relação entre o cigarro e a fertilidade?

Qual a relação entre o cigarro e a fertilidade?

Há décadas, é de conhecimento geral que o cigarro é um dos produtos de consumo mais prejudiciais à saúde do ser humano, principalmente à saúde respiratória, sendo os pulmões as grandes vítimas desse mal. Mas vários outros órgãos e sistemas do nosso corpo podem ser afetados, como a capacidade reprodutiva.

A relação entre cigarro e fertilidade é mais estreita do que se imagina. Para além de simplesmente causar disfunção erétil, as substâncias contidas no cigarro podem trazer consequências negativas diretamente à capacidade do corpo de gerar filhos, e, consequentemente, a estes.

Como o cigarro prejudica a fertilidade?

Quando se fala em cigarro e fertilidade, a primeira coisa que vem à mente de muitos são problemas no sistema reprodutor como a disfunção erétil nos homens, ou os diversos problemas que podem atingir o feto durante a gravidez.

As substâncias nocivas contidas no cigarro, como a nicotina, o cádmio, fenol, ácidos e substâncias radioativas, entre outras mais de 4 mil, podem afetar a função reprodutiva masculina e feminina desde a formação dos espermatozoides e dos óvulos. Isto é, uma quantidade menor de gametas produzidos pelo corpo e estes podendo se tornar inviáveis.

Cigarro e fertilidade feminina

A capacidade reprodutiva e a gestação das mulheres são muito afetadas pelo consumo do cigarro. Além da diminuição da capacidade de fertilização, nas mulheres, a relação nociva entre cigarro e fertilidade pode ocorrer da seguinte forma:
  • Dificulta a motilidade tubária, o caminho do óvulo pelas trompas após ser expelido pelo ovário e do embrião após a fecundação, o que pode levar a gravidez tubária ou ao aborto;
  • Causa irregularidade ou ausência menstrual;
  • Possível menopausa precoce: mulheres fumantes são mais suscetíveis a desenvolver a condição, pois o consumo excessivo do cigarro diminui a reserva de óvulos nos ovários;
  • Dificulta a divisão de células do embrião, o que pode causar problemas futuros ao feto ou mesmo sua inviabilidade e consequente perda;
  • Afeta a placenta, aumentando riscos de descolamento prematuro, placenta prévia, e de crescimento do feto aquém do esperado;
  • Maior risco de sofrimento do feto e de diversas doenças em toda a sua vida.

Cigarro e fertilidade masculina

Cigarro e fertilidade masculina também têm uma interação problemática. Além da disfunção erétil, comum nos avisos das embalagens do produto, o cigarro pode afetar o sistema reprodutor masculino de outras maneiras, tais como:
  • Diminui a quantidade de espermatozoides produzidos;
  • Afeta a motilidade dos gametas, o que pode dificultar a fecundação;
  • Causa alterações no plasma seminal que pode matar espermatozoides;
  • Afeta a produção cromossômica adequada, por causa da deficiência da proteína P2, o que pode gerar desde espermatozoides inviáveis como diminuir a capacidade fértil do homem.

Cigarro e a Fertilização in Vitro

Tratamentos como a fertilização in vitro (FIV) podem ser afetados diretamente pela forma com que cigarro e fertilidade se relacionam nos corpos dos fumantes. Isso ocorre porque as taxas de fertilidade são diminuídas por causas da ação nociva das substâncias do cigarro no corpo.

Na fertilização in vitro, é importante que se produzam gametas em quantidade e qualidade suficientes para que seja realizado um procedimento bem-sucedido. Homens e mulheres fumantes apresentam déficit nessa produção e, por isso, pode haver dificuldades.

E se parar de fumar?

Parar de fumar pode reverter muitos dos problemas de fertilidade que o hábito causa. À medida que o tempo passa, desde o momento em que a pessoa decide parar de fumar, as chances de sucesso reprodutivo e de uma gravidez saudável aumentam.

Parar de fumar é difícil e muitos tem medo de não conseguir. É importante procurar ajuda médica ou de grupos de apoio quando se toma essa decisão. Existem tratamentos eficazes para se livrar do cigarro. Não é um processo fácil, mas seus benefícios compensam.

0 comments:

Postar um comentário