Friday, November 21, 2014

5 dicas para aumentar sua autoconfiança

1. Evite comparar-se aos outros 
Há poucas coisas tão nocivas para a autoconfiança quanto basear sua avaliação pessoal em realizações alheias. "Como a colega consegue ir sempre à academia, cuidar dos filhos e ainda ser promovida?", você se pergunta, colocando a própria capacidade em xeque. "Lutar para ser o melhor que puder é uma ambição mais realista", defende Liggy Webb


Segundo ela, a autoaceitação é o componente mais importante para manter a admiração que tem por si mesma em alta. Como começar? Admita que não será sempre a melhor em tudo e que está em constante desenvolvimento. De qualquer modo, é mais construtivo usar referências pessoais passadas: "Se tiver uma autoimagem clara, saberá como se superar".

2. Forneça estímulos a si mesma
De acordo com Becky Blalock, diariamente, em torno de 65 mil pensamentos passam pela nossa cabeça. “O problema é que 90%, ou seja, quase todos, são negativos. É mais fácil nos lembrarmos das vivências ruins do que das positivas”, justifica. É por isso que estamos frequentemente nos criticando, dando banhos de água fria na nossa autoestima. Vem daí a importância de reconhecer seu mérito e apreciar a sua conquista sempre que fizer algo com qualidade”, completa Becky. Ou seja, saiba se dar o crédito ainda que os outros não tenham reconhecido seu esforço. Para os momentos em que precisar de um incentivo a mais, ela indica relembrar conquistas e os feedbacks positivos já recebidos (de chefes, amigos, colegas de trabalho). “É um modo de obter coragem para não desistir perante os atuais desafios”, afirma. Dirija-se a si mesma com orgulho e concentre-se nas suas virtudes. O ideal é que as afirmações sejam sempre nos tempos presente ou futuro e em formato assertivo. “Em vez de dizer ‘não vou mais fazer isso’, tente ‘vou fazer isso de tal maneira, pois me trará resultados melhores' ”, ensina Liggy.

3. Saia da zona de conforto
É natural torcer o nariz para qualquer atividade pouco familiar. Mas pode existir algo além de uma preguiça ocasional nesse gesto: medo de falhar. Quando reagimos assim, não realizamos uma fração daquilo que somos capazes. Becky alerta: "É impossível obter sucesso sem errar algumas vezes". Entenda que o erro faz parte do processo de aprendizagem e não deve ser visto apenas como fracasso. Desafie-se - e, com o tempo, se sentirá mais segura ao fazer coisas até então inéditas para você.

4. Faça a lição de casa
Nem todo mundo é bom em improvisos. Para se garantir, certifique-se de que domina o assunto ou a tarefa que vai encarar - no trabalho ou na vida. "Sua mente precisa de preparo antes de um grande dia. Ou você ficará insegura e com medo", diz Becky. No caso de uma reunião, conheça os dados necessários, pense em argumentos convincentes e em como rebater dúvidas e questionamentos. "Converse com pessoas que possam dar uma visão prática e realista ou até oferecer dicas exclusivas." 

5. Treine sua linguagem corporal
Sua postura pode sinalizar segurança, credibilidade e tranquilidade, convencendo os outros e, de quebra, turbinando a confiança em si mesma. Para Fábio Caló, o contato visual é básico na comunicação. Um olhar para o chão indica insegurança ou até que a pessoa está mentindo. Tocar o antebraço e o ombro do outro também fortalece a sintonia. "No entanto, o gesto funciona apenas em situações informais, como uma conversa com um amigo ou com alguém da mesma posição profissional", alerta. Já os braços, idealmente, devem ficar soltos. Mantê-los cruzados sinaliza posição defensiva e demonstra falta de receptividade. Observe também quanto você gesticula enquanto fala: "Movimentar as mãos para acompanhar a fala mostra liberdade e certeza nas informações que transmite", diz. Mas cuide para não cometer excessos - ou pode parecer agressiva.


Fonte:mdemulher
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...