Saturday, February 22, 2014

Novas aves da Amazônia

Em 2013, cientistas do Museu de Zoologia da USP (Universidade de São Paulo), do Inpa (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia) e do Museu Paraense Emílio Goeldi fizeram a maior descoberta da ornitologia brasileira em 140 anos. O grupo encontrou, ao todo, 15 novas espécies de aves na Amazônia, sendo 11 endêmicas do Brasil. 
 Entre as técnicas usadas para identificar as aves estão as análises de material genético e de suas vocalizações (canto e sons). O chorozinho do gênero "Herpsilochmus", por exemplo, tinha uma frequência sonora diferente dos sons emitidos por outras aves, caracterizando o achado 

As aves serão apresentadas formalmente em uma série de artigos científicos previstos para serem publicados em julho, no volume especial do "Handbook of the birds of the world", que é adotado como fonte de consulta por ornitólogos do mundo todo. Acima, registro do bico-chato-do-sucunduri, espécie que vive próximo a um afluente do rio Madeira, na floresta amazônica
Oito delas vivem a oeste do rio Madeira, na parte ocidental da Amazônia; cinco habitam exclusivamente as terras situadas entre os rios Tapajós e Madeira, no centro da região Norte; e as outras duas na porção mais oriental da floresta tropical, a leste do Tapajós, no Pará. Acima, nova espécie de ave da família dos "Bucconidae" 
A nova espécie de gralha do gênero "Cyanocorax" já corre risco de entrar em extinção, afirma o grupo de pesquisadores. O pássaro é encontrado apenas na beira de campinas naturais entre os rios Madeira e Purus, próxima à rodovia BR-319, e no sul do Amazonas, próximo a Porto Velho. Com apenas 35 centímetros de comprimento, ela é conhecida popularmente na região como cancão-da-campina
Nova espécie de arapaçu-de-bico-torto, da família "Dendrocolaptidae", que foi descoberta na Floresta Nacional de Altamira, próxima à rodovia BR-163, no sul do Pará. 

Fonte: 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...