Friday, May 31, 2013

O Salto del Tequendama e o Hotel Del Salto - Colômbia

Localizado na cidade de Soacha, a apenas 30 km ao sudoeste de Bogotá, encontramos um dos principais pontos turísticos da Colômbia: o Salto del Tequendama, uma impressionante cascata de 157 metros de altura que, após percorrer quilômetros pelas belas paisagens naturais da região, cai sobre um abismo rochoso em formato circular. 
 A beleza da imponente queda d’água atrai milhares de turistas à região. Segundo uma antiga lenda muisca, o Salto del Tequendama se formou pela ação divina de Bochica, que quebrou a rocha para escoar as águas que inundavam a savana de Bogotá. Mas alguns estudos indicam que isso pode não ser apenas uma lenda…
 Há indícios que mostram que este fenômeno pode ter ocorrido de verdade! Mas por ação da natureza, e não divina! Uma outra lenda diz que, durante a época em que os conquistadores espanhois invadiram a América do Sul, o povo indígena da região, para escapar da escravidão, pulava do Salto del Tequendama e se transformavam em águias que voavam para sua liberdade!
Mas, além da cachoeira , uma outra atração é muito procurada pelos turistas: o Hotel Del Salto, um luxuoso hotel situado na beira de um penhasco, bem diante da queda d’água. A mansão, cuja construção iniciou-se em 1923 e sua inauguração se deu em 1928, recebia os viajantes ricaços que visitavam a região e, por causa de sua localização, proporcionava aos seus convidados uma vista simplesmente espetacular e de tirar o fôlego!
 O arquiteto responsável pelo seu projeto foi Carlos Arturo Tapias e ele o fez como um símbolo da alegria e da elegância dos cidadãos de elite dos anos 20. O exterior do prédio tem características da arquitetura francesa e a única maneira de chegar à mansão era através de um trem que partia da capital colombiana. No início da década de 50, a mansão foi reconstruída e tornou-se um hotel de dezoito andares…
Porém, nas próximas décadas, houve um crescimento desordenado da capital colombiana, o que provocou a contaminação do Rio Bogotá e seus afluentes e fez com que muitos dos atrativos naturais da área da cachoeira perdessem sua beleza. Com isso, os turistas foram perdendo o interesse pela região, culminando com o fechamento do belo hotel no início da década de 90, que se encontra abandonado desde então. 
 Com seu visual abandonado e o fato de que no passado muitas pessoas escolhiam aquele ponto para cometerem suicídio alimentou os rumores de que o Hotel Del Salto seja mal-assombrado! O Instituto de Ciências Naturais da Universidade Nacional da Colômbia e a Ecological Farm Foundation of Porvenir se uniram em um projeto de renovação da área e agora são responsáveis em transformar o hotel abandonado em um museu: 
 A Casa Museu Salto de Tequendama de Biodiversidade e Cultura, onde se espera realizar exposições e palestras sobre ecossistemas, natureza e ecologia! Há cerca de 15 anos, o grupo está trabalhando para recuperar a fauna e a flora ao redor do rio Bogotá… e a recuperação do hotel seria o símbolo de tal processo.
 No futuro, quando a região estiver ecologicamente recuperada, o grupo espera tirar um pouco o foco das questões ambientais e voltá-lo para o turismo, já que a região sempre teve um potencial turístico (e, consequentemente, econômico) gigantesco!

Fonte: demalasprotas
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Arcos naturais

1. Arch London -  É um arco natural localizado no Port Campbell National Park, Austrália. O arco é uma das várias atrações turísticas ao longo da Great Ocean Road, perto de Port Campbell em Victoria. 
Este arco foi formado por um processo gradual de erosão, e até 1990 formava uma ponte natural dupla ligada ao continente. O arco mais próximo da costa caiu inesperadamente em 15 de janeiro de 1990, deixando dois turistas retidos na parte externa, até que foram resgatados por um helicóptero.
Antes do colapso, o arco era conhecido como London Bridge por causa de sua semelhança com o seu homônimo. Na foto abaixo segue uma amostra do arco que despencou e de como era este lugar fantástico anteriormente.
2. Arco natural La Portada – Chile - é um arco natural localizado a poucos metros da costa do Oceano Pacífico, cerca de 20 km ao norte de Antofagasta, Chile. Este monumento natural tornou-se um ícone da região e um dos marcos históricos mais famosos do Chile, devido a sua localização, próximo a rodovia Panamericana.
No local há uma plataforma de observação e um restaurante sobre os rochedos próximos de onde se pode tirar belas fotos do arco. Anteriormente era possível ir até à praia e caminhar ao longo da base dos penhascos, mas agora foi fechado por razões de segurança, após um forte terremoto ocorrido há pouco tempo, no Chile.
O arco foi conformado por rochas vulcânicas que datam de mais de 100 milhões conforme estudos. Desde então, a erosão vem conformando o arco. No local, o litoral é formado por penhascos íngremes e irregulares, formados por rocha nua e sal, levado pelo vento e depositado sobre as camadas de arenito.
3. Arco natural Durdle Door – Inglaterra -  É de calcário localizado na Costa da Inglaterra, perto de Lulworth, em Dorset. Este lugar fantástico é propriedade privada de uma família, mas é aberto ao público. A erosão do calcário, ação do vento, do mar e diferenças de dureza das rochas, resultaram na formação do arco com o decorrer do tempo.
Além do arco, uma cadeia de cavernas se formaram ao longo da costa. Muitas delas desabaram deixando formações que estão se desgantando com a ação do mar. Durdle é um dos monumentos mais fotografados ao longo da Costa Jurássica, onde cerca de 200.000 pessoas visitam a cada ano. Com o tempo o arco deve entrar em colapso, como outros que podem ser vistos ao longo de Ladram Bay, em East Devon.
4. Arco natural Berry Head – Canadá - É um arco de pedra natural, na Trilha da Costa Leste na Ilha Spurwink, Canadá. O arco pode ser visto de vários ângulos, e você pode atravessar por cima dele.
É um dos destaques da trilha de um dia de caminhada ao longo da acidentada costa da Península de Avalon. O arco está a cerca de 6 km ao norte de Port Kirwan, na Ilha Spurwink. É uma trilha difícil, com 17 km de extensão de Port Kirwan, que leva-o para a direita após o Arco Berry Head.
5. Arco natural de Jericoacoara - Ceará - Brasil - Pedra Furada: Cartão postal da Região Rochosa de Jericoacoara, o monumento que colocou a praia entre as 10 mais belas do mundo é uma grande formação rochosa em forma de arco, esculpida pelas ondas do mar.
É proibido subir na pedra e degradar o lugar. No percurso com maré baixa é possível divisar alguns aquários naturais cheio de peixes coloridos.
6. Arco natural do Cabo São Lucas – México - É uma formação rochosa no extremo sul do Cabo San Lucas, que é também o extremo sul da Península da Baixa California. 
 Muitos o comparam com o aspecto é de um Triceratops tomando água. O famoso arco separa o Golfo da Califórnia do Oceano Pacífico. 


Fonte: jp-lugaresfantasticos
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Thursday, May 30, 2013

Guepardo sobe em carro - Parque de Masai - Quênia

Os turistas estavam interessados em flagrar cenas do mundo selvagem no parque de Masai Mara (Quênia). Mas este guepardo quebrou o protocolo e, de forma dócil, subiu no teto de um carro e posou para fotos. 
Os turistas aproveitaram a abertura no teto do jipe para clicar o animal sem qualquer proteção. O felino ficou em cima do veículo por 45 minutos!



Fonte: globo
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

A peregrinação no Himalaia

Todos os anos, centenas de milhares de peregrinos embarcam em uma odisseia que leva vários dias. Os viajantes não só percorrem uma quilometragem impressionante, como também chegam a uma altura de 3888 metros acima do nível do mar. 
Esta "campanha" é realizada sempre na segunda quinzena de junho, quando os indianos visitam um dos santuários mais importantes da religião hindu - a gruta Amarnath. Segundo a lenda, foi nessa gruta que o Deus Shiva revelou a sua esposa Parvati, os segredos da vida e da eternidade. 
A entrada da mesma está localizada a poucos quarteirões dos paredões de gelo, que são considerados a encarnação de Shiva, conhecidos como "Swayambhu Murti". A escolha de junho para a peregrinação é estratégica. 
Acontece que no verão do Himalaia, durante um período muito breve, a neve, bloqueando as abordagens para a gruta, derrete e permite o acesso ao templo.



Fonte: postabeiramar
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Como gelar bebidas de maneira rápida

Recebeu visitas inesperadas? Está fazendo uma reunião em sua casa e não conseguiu comprar bebidas geladas? Calma, para tudo tem solução, veja só:
  • Para começar o processo, providencie um recipiente de metal ou alumínio. Pode ser uma bacia ou um balde pequeno. Nele, coloque pedras de gelo, quantas couberem, até encher.
  • Então, adicione no recipiente duas colheres de sopa de sal e 500 ml de álcool. Mas, um aviso, lembre-se de tomar cuidado com o álcool: ele não pode ser manipulado nem posicionado perto da churrasqueira ou do fogão. Como as garrafas de álcool comuns normalmente vem com um litro, basta colocar a metade do conteúdo dela.
  • Com a preparação finalizada, basta colocar as latas dentro do recipiente e deixá-las por três minutos, virando-as de vez em quando.
  • A dica funciona não somente com latas, mas também com garrafas pet e de vidro, porém, o processo é um pouco mais demorado.
Essa mistura de sal e álcool acelera o processo de resfriamento, além de conservar o gelo.

Fonte: Lavioletera

 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Rãs e sapos - Coloridos e venenosos I

1 . Oophaga pumilio ou Dendrobates pumilio -  Espécie de rã que possui grande variação de cores e grande toxicidade do seu veneno. Vive na América Central, principalmente na região de Nicarágua, Costa Rica e Panamá.

  2. Phyllobates terribilis - É a espécie de rã mais venenosa do planeta, tanto para homens quanto para outros animais. Ele pode ser encontrado na Colômbia.
3. Espécie Dendrobates auratus - Localizado nas florestas da América do Sul e Central. Nas distintas populações pode se encontrar a maior variedade de cores. Podem ser de fundo todo preto, castanho, azul ou verde.

 As costas e as extremidades estão cobertas de linhas, manchas podem ser verdes, azuis, cinzento metalizado castanho ou até branco. Na parte Ocidental da Costa Rica existem indivíduos completamente negros.
 4. Espécie Dendrobates azureus - Também conhecida como sapo-boi-azul. Ele tem cores chamativas que advertem os possíveis predadores que ele tem um potente veneno neurotóxico na pele. Ele pode ser encontrado na região de Sipaliwini, no Suriname.
5. Espécie Dendrobates tinctorius -  Também conhecido como sapo garimpeiro, é encontrado nas florestas da América do Sul e Central


6. Dendrobates reticulatus -  Espécie encontrado em florestas da América Central e do Sul como no Peru. É a segunda espécie mais venenosa do gênero. Seu veneno é capaz de causar lesões graves no homem e morte em pequenos animais.

Fonte: veja/abril
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Porque os bebês nascem com olhos azuis, que depois mudam de cor?

Muita gente diz que bebê é tudo igual, que eles nascem com a mesma cara de “joelho”. E, apesar de isso não ser bem verdade, muitos realmente nascem com uma característica comum: olhos azuis. Os mesmos olhos azuis já não são tão predominantes nos meses seguintes; o contrario ocorre, poucas crianças mantêm a cor clara. Por quê?
Segundo os oftalmologistas, tem a ver com a quantidade de melanina com que nascemos, e se ela aumenta após o nascimento. A melanina é um pigmento; quanto mais você tem nos olhos, no cabelo e na pele, mais escuros eles são (e mais luz eles refletem).

Um pequeno depósito de melanina na íris dos olhos faz com que elas pareçam azul, enquanto uma quantidade média torna os olhos verdes ou castanhos e uma quantidade grande os deixa marrom escuro.

Os bebês não nascem com toda a melanina que estão destinados a ter. Esse processo de maturação continua pós-útero, o que significa que a cor dos olhos não é definida até os 2 anos de idade.

Apesar de alguns bebês de etnias não-brancas também nascerem com olhos azuis, que se tornam marrons ao longo do tempo, o efeito é muito menos comum do que com bebês caucasianos. Indivíduos de pele mais escura geralmente já têm bebês de olhos castanhos porque eles já nascem com mais pigmento.



Fonte: hypescience

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

10 espécies extremas de insetos

Grandes, pequenos, venenosos, verdes, coloridos. Atualmente, os insetos representam mais de 80% de todas as espécies animais, sendo que existem aproximadamente 900 mil tipos diferentes deles catalogados pela ciência. E há ainda uma estimativa de pelo menos um milhão de novos a serem descobertos. Com estes números tão significativos, confira uma lista com 10 espécies extremas de insetos:

1. Maior colônia de insetos: formigas argentinas
Formigas argentinas (Linepithema humile) foram agraciadas, recentemente, com o título de insetos com a maior colônia no mundo inteiro, cuja dominação pode rivalizar com a de seres humanos. Os cientistas descobriram que os membros da espécie que vivem em toda a América, Europa e Japão na verdade pertencem a mesma colônia, e se recusam a lutar entre si. Além disso, uma série de experimentos deu a entender que essas super-colônias podem realmente ser uma colônia de formigas mundial, já que seus membros não apresentam um comportamento hostil quando colocados juntos e reconhecem um feromônio familiar, apesar de estarem separados por milhares de quilômetros. Além disso, esse fenômeno incomum parece ter sido criado por seres humanos, que, inadvertidamente, levaram a espécie para todos os continentes.

2. O que mais faz barulho: barqueiro de água
Uma espécie de cigarra, o barqueiro de água (Micronecta scholtzi) é o animal mais barulhento da Terra. Apesar de toda a família da cigarra ser famosa por sua sonoridade (algumas espécies exprimem sons que chegam a 120db), o barqueiro de água, com apenas dois milímetros de comprimento, consegue fazer um ruído de 99,2 db, semelhante a quem está na linha da frente de uma orquestra ou a 15 metros de distância de uma britadeira.

3. Raridade: Inseto Vara da Ilha de Lord Howe
Encontrado entre a Austrália e Nova Zelândia, esta espécie é um exemplo do que os biólogos chamam de efeito Lazarus, quando se acredita que uma espécie extinta, mas ela é encontrada novamente mais tarde. A atual população de Dryococelus australis é calculada em torno de cinquenta bichos. Com uma população tão pequena, no entanto, continua a ser uma espécie criticamente ameaçada. O Jardim Zoológico de Melbourne, da Austrália, busca salvar o inseto e está conseguindo produzir mais de nove mil indivíduos dentro de sua criação.

4. Resistência mil: barata alemã
Que as baratas são insetos resistentes não é nenhuma novidade, afinal elas são capazes de sobreviver a uma explosão nuclear. Mas esta espécie, Blattaria germanica, conseguiu viver em um ambiente muito hostil: o cólon humano. A barata provavelmente chegou lá depois de ter sido inadvertidamente engolida por uma mulher de 52 anos enquanto ela estava comendo e, de alguma forma, conseguiu sobreviver às enzimas digestivas de seu estômago.

5. O mais temido: gafanhoto migratório
O gafanhoto migratório é, sem dúvida, a espécie mais temida de insetos conhecidos pela humanidade. Embora o mosquito seja responsável pela morte de mais humanos, o gafanhoto é um inseto que nos deixou horrorizados ao longo da história. Apesar de enxames de gafanhotos serem raros hoje em dia, as pragas continuam a ocorrer em algumas partes do mundo, como foi o caso em Madagascar, no ano passado, ou do surto de gafanhotos em 2004 que afetou vários países do Oeste e Norte da África e resultou em perdas de cerca de 2.500 milhões de dólares (cerca de R$5.035.000,00) na agricultura.

6. O voador mais rápido: Austrophlebia costalis
Esta espécie de libélula (Austrophlebia costalis) é campeã em velocidade de voo, cronometrado em 56 km/h. Embora existam afirmações anteriores de que o recorde seria de 96 km/h, a maioria dos especialistas discorda. No entanto, há muitos que consideram que o título de inseto mais rápido continua a ser disputado entre libélulas, mariposas falcão e mutucas, com várias medições não confirmadas sobre cada uma dessas espécies.

7. Migração mais longa: Pantala flavescens
Recentemente, as libélulas da espécie Pantala flavescens foram consideradas os insetos que realizam a mais longa migração, superando a da famosa borboleta monarca. Nos tempos de monções, essas libélulas viajam da Índia para a África Oriental e Austral e vice-versa, percorrendo um caminho de 14 mil a 18 mil km. A longa migração desses insetos torna-os uma fonte de alimento acessível para as aves migratórias, o que significa que, se alguma coisa acontecer a esta espécie, as muitas aves também serão afetadas.

8. Veneno mais poderoso: Pogonomyrmex maricopa, ou formiga cortadeira
A formiga cortadeira é o inseto mais venenoso do mundo, mas não representa qualquer ameaça para os seres humanos. Seu veneno é cerca de 25 vezes mais forte do que o mel de abelha, mas ela é entregue em pequenas doses, portanto, a formiga cortadeira é bastante inofensiva. É encontrada em todo os EUA.

9. O pequenininho: Dicopomorpha echmepterygis
Estas vespas são a menor espécie de insetos conhecida pela ciência. Nativas da Costa Rica, os machos da espécie medem menos de 0,14 mm de comprimento, aproximadamente o mesmo tamanho, se não menor do que o paramécio (espécie de protozoário ciliado) unicelular que normalmente encontramos nas águas do lago. Esta espécie alimenta-se de ovos de outros insetos.

10. O maioral: Weta gigante, da Ilha de Little Barrier, Nova Zelândia
Deinacrida heteracantha, ou weta gigante, uma espécie de grilo/gafanhoto gigante, natural da Nova Zelândia, ostenta o posto de maior e mais pesado inseto do mundo, com 71 gramas e mais 8,5 centímetros.

Fonte: hypescience.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Se o sangue é vermelho, porque vemos as veias azuis?

Bom, o negócio é muito simples. O nosso sangue é vermelho, e as veias, por si próprias, não têm cor, elas deveriam parecer vermelhas, certo? Mas por que aparecem azuis?
Bem, elas se tornam azuis aos nossos olhos devido à pele: quando a luz passa pela pele, a frequência de ondas luminosas vermelhas é absorvida, e apenas a azul é rebatida, por isso nossos olhos as veem azuis.

Aliás, aquela crença antiga de que a nobreza tem sangue azul é graças a isso. Como os nobres eram associados à cor branca da pele, os mais brancos eram justamente os nobres, já que mantinham esse fenótipo por se casarem entre primos e parentes próximos. Quanto mais clara a pele, mais as veias se destacam ao olhar, ou seja, os nobres viam suas veias mais azuis do que qualquer outra pessoa.

De qualquer maneira, o processo é o seguinte: quanto mais oxigênio há no sangue, o seu vermelho é mais brilhante. Assim, esse “pico de brilho” é atingido quando o sangue acaba de sair do seu pulmão, através das artérias, em direção ao resto do corpo. 


No final do trajeto, ele atinge os capilares, pequenos vasos que irrigam o oxigênio nos órgãos (seus lábios, por exemplo, são vermelhos devido aos capilares), para então voltar ao coração. No caminho de volta ao coração, ele passa pelas veias, já sem tanto oxigênio, e aí já é um vermelho escuro, quase roxo. Chegando ao pulmão, ele é novamente oxigenado, e o ciclo se completa.

Na imagem, o interior de uma veia. 




Fonte: hypescience


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...