Monday, August 5, 2013

Qual a diferença entre o ouriço e o porco-espinho?

Olha, é muito comum as pessoas falarem porco-espinho para tudo que tem espinhos – me admira não chamarem as rosas assim também. Pois bem, vejamos aqui as diferenças e informações sobre sua biologia.
Antes de tudo, o porco-espinho “verdadeiro” é um animal roedor da família Hystricidae (porco-espinho do Velho Mundo) e Erethizontidae (porco-espinho do Novo Mundo), portanto não é porco, senão seria um Suidae. Existem algumas diferenças entre estas famílias de roedores e a ordem do ouriço, a Erinaceomorpha.
Possuem pêlos diferenciados, ou seja, além dos pêlos comuns possuem alguns que são mais duros. Estes pêlos, nunca, jamais, em hipótese alguma podem ser projetados para uma direção com o intuito de furar alguém ou um predador. Eles não conseguem tal proeza, logo, quaisquer tipos de comentários referentes a esta “habilidade” deles é MENTIRA! Este pêlo é duro o suficiente para ser considerado como um espinho, ao qual levou o nome. São desprovidos de veneno.

Todo o predador que cheirar este roedor pela primeira vez, certamente, sairá com um espinho de brinde. Este espinho tem um mecanismo muito bacana onde, ao ser tocado em sua extremidade, ele se desprende da base do corpo do roedor e fica preso na pele do predador. Em outras palavras, se o predador e/ou o homem dar um tapa, um chute descalço, uma focinhada (no caso dos predadores e bichos curiosos) este pêlo/espinho sairá fincado neste local de contato. Com isso, desmentimos a famosa lenda de que eles lançam seus espinhos!

PORCO-ESPINHO (ÁFRICA, EUROPA, ÁSIA E INDONÉSIA)

Porco-espinho (Hystrix cristata), Velho Mundo.

Estes pertencem a família Hystricidae. São animais que dormem durante o dia e à noite saem para caminhadas à busca de raízes, tubérculos, cascas de árvores, frutas, cereais e, freqüentemente come restos de presas de grandes mamíferos. São animais terrestres, raramente subindo em árvores.

Usualmente manso e pacífico até que seja encurralado, quando crava seus espinhos, causando agonizante sofrimento. Tem visão pouco desenvolvida, porém o olfato e a audição são bastante apurados.

Acidentes 

Aqui vemos um leão jovem tentando caçar um porco-espinho. Não é impossível, mas na falta de várias outras opções no cardápio o porco-espinho acaba sendo predado. Para a efetivação desta caçada, muito provavelmente, este leão já deve ter levado alguns espinhos em caçadas anteriores e, com o tempo, aprendeu a arte de se capturar um animal espinhoso como este.

Curiosidades

Existem 3 gêneros atuais na família Hystricidae: Atherurus, Hystrix e Trichys distribuídos pela África, Europa, Ásia e Indonésia.
O espinho desta espécie é inteiriço, ou seja, dento dele é maciço.
Quando eriça seus espinhos, eles produzem um som de chocalho.

PORCO-ESPINHO-AMERICANO (AMÉRICA DO NORTE)

Porco-espinho-americano (Erethizon dorsatum), Novo Mundo.

Este animal pertence a família Erethizontidae. Animal que é geralmente encontrado em coníferas e áreas mistas de matas no Canadá, Alasca e grande parte do norte e do oeste dos Estados Unidos. Eles também são encontrados em áreas de moitas, tundras e nos desertos do sul até o norte do México. Ele faz sua toca num buraco em uma árvore ou em uma área rochosa.

São principalmente ativos durante a noite. Nos dias de verão eles descansam freqüentemente em árvores. Durante o verão, comem galhos, raízes, caules, frutos e outra vegetação. No inverno, eles comem principalmente casca de árvore de coníferas. Não hibernam, mas dormem muito e ficam próximo de suas tocas no inverno.

Curiosidades

Movem-se lentamente e são freqüentemente atingidos por veículos ao cruzar estradas.
Ao contrário de seu primo africano seu espinho é oco como se fosse um canudo de refrigerante.

OURIÇO-CACHEIRO, PORCO-ESPINHO (AMÉRICA DO SUL)

Ouriço-cacheiro, Porco-espinho-brasileiro (Sphiggurus villosus), Novo Mundo.

Esta espécie também é conhecida por porco-espinho ou ouriço. Pertence a família Erethizontidae – a mesma do porco-espinho-americano.

Alimenta-se se sementes, frutos, folhas, raízes e tubérculos. É um animal noturno e passa a maior parte do tempo nas árvores onde se desloca muito bem tendo sua cauda preênsil como um membro muito útil para essa finalidade.

Curiosidades

Existem 16 espécies de 5 gêneros diferentes. Como seu primo norte americano também possuem espinhos ocos.

OURIÇO-EUROPEU (EUROPA, ÁSIA, ÁFRICA E NOVA-ZELÂNDIA)

Ouriço-europeu (Erinaceus europaeus); Filhotes albinos.

Estes são os ouriços “verdadeiros” conhecidos no mundo inteiro. Foram eles que serviram de inspiração para o criador de SONIC dos games.


Os ouriços são animais principalmente noturnos, que se alimentam de insetos, caracóis, lesmas e de vegetais. Os seus predadores principais são as corujas e os furões. O ouriço conta com a sua coloração como camuflagem, mas quando ameaçado enrola-se numa bola expondo apenas a parte coberta de espinhos.

Uma diferença importante entre as espécies citadas é que os espinhos deste ouriço, ao contrário dos do porco-espinho, não se soltam naturalmente.

Não há espécies nativas na Austrália nem na América do Norte ou do do Sul, e os encontrados na Nova Zelândia foram introduzidos. São mamíferos insetívoros que mudaram pouco nos últimos 15 milhões de anos.

Acidentes
Os únicos acidentes que podem acontecer é este animal ser atropelado ou morto por algum humano ignorante, pois não oferece nenhum risco. Alguns predadores podem ser furados com os espinhos, estes não saem, e causam somente dor devido a perfuração.

Curiosidades

Graças à sua dieta, os ouriços são importantes no controle de pragas, já que são capazes de comer várias vezes o seu próprio peso em insetos e anelídeos.

A família Erinaceidae, a qual pertencem todos os ouriços, é a única pertencente à ordem Erinaceomorpha - anteriormente classificada na ordem Insetívora. A família inclui duas subfamílias: Erinaceinae (com 5 gêneros 16 espécies) e Galericinae (com 5 gêneros e 8 espécies).

O QUE FAZER COM UM CACHORRO ACIDENTADO POR UM PORCO-ESPINHO?
Se você for uma pessoa paciente e tiver o equipamento adequado, além de sangue frio, pode fazer a extração dos espinhos, mas cuidado!

Geralmente, ao ser acidentado, o animal fica desesperado para retirar estes espinhos e acaba quebrando-os em sua ponta ao se arrastar e esfregar a parte lesada em outros lugares, como pedras, grama, paredes, portões, etc.

Com a ajuda de uma pinça ou um alicate, pegue o espinho na base posterior, ou seja, na ponta fincada na pele do animal, e puxe de uma só vez. Cuidado para não quebrar o espinho ao puxar, pois isso comprometerá o trabalho. O animal irá pular de dor, logicamente, mas segure-o firme e continue. Após retirar todos os espinhos, passe iodo povidine (PVPI) no local e o leve ao veterinário de sua confiança.

Vale lembrar que esta rápida atitude de tirar os espinhos é somente válida se o animal estiver com poucos espinhos e, melhor, em locais de fácil acesso. Lembro-me que, uma certa vez em um criadouro onde trabalhava, as duas cadelas que tínhamos em casa apareceram cheias de espinhos. Elas tiveram que ser anestesiadas pelas veterinárias e fomos retirando os espinhos um a um, com a pinça. Houve um pouco de sangue no local e após isso tudo, as vets ainda deram uma medicação para as cadelas.

Portanto, não esqueça de buscar a orientação de um veterinário de confiança, pois há casos que é necessário esta anestesia. Afinal, como você acha que esse cachorro aqui debaixo se livrou destes espinhos?



Fonte: danianderson


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...