Sunday, May 19, 2013

Ornitorrinco - Ornithorhynchus anatinus - Mamífero Semiaquático

Natural da Austrália e Tasmânia. É o único representante vivo da família Ornithorhynchidae, e a única espécie do gênero Ornithorhynchus. Juntamente com as equidnas, formam o grupo dos monotremados, os únicos mamíferos ovíparos existentes. A espécie é monotípica, ou seja, não tem subespécies ou variedades reconhecidas. Possui hábito crepuscular e/ou noturno.

Preferencialmente carnívoro, sua dieta baseia-se em crustáceos de água doce, insetos e vermes. Possui diversas adaptações para a vida em rios e lagoas, entre elas as membranas interdigitais, mais proeminentes nas patas dianteiras. É um animal ovíparo, cuja fêmea põe cerca de dois ovos, que incuba por aproximadamente dez dias num ninho especialmente construído.
Os monotremados recém-eclodidos apresentam um dente similar ao das aves (um carúnculo), utilizado na abertura da casca; os adultos não têm dentes. A fêmea não possui mamas, e o leite é diretamente lambido dos poros e sulcos abdominais. Os machos têm esporões venenosos nas patas, que são utilizados principalmente para defesa territorial e contra predadores.
Possui uma cauda similar a de um castor. É um dos poucos mamíferos com veneno. Produzido por glândulas abdominais, esse veneno é inoculado através de esporões localizados nos membros posteriores. Os ornitorrincos só produzem o veneno durante a época reprodutiva, provavelmente para defender seu território de outros machos.
O veneno do ornitorrinco parece ser um exemplo de evolução convergente, explica Wesley Warren, biólogo que liderou o estudo na Washington University. Segundo alguns relatos, o veneno do ornitorrinco pode causar uma das piores dores sentidas pelo ser humano. São animais  primariamente noturnos ou crepusculares.
Quando não estão mergulhando em busca de alimento, descansam em buracos feitos nas margens dos rios e lagos, sempre camuflados com vegetação aquática. Há dois tipos de tocas, uma serve como abrigo para ambos os sexos e é construída pelo macho na época de acasalamento; a outra, geralmente mais profunda e elaborada, é construída pela fêmea e serve como ninho para a incubação dos ovos e cuidados pós-natais.
Hábitos alimentares carnívoros, alimentando-se de anelídeos, larvas de insetos aquáticos, camarões de água doce, girinos, caramujos, lagostins de água doce e pequenos peixes, que escava com seu focinho, dos leitos dos rios e lagos ou apanha enquanto nada. As presas são guardadas nas bochechas à medida que são apanhadas. Quando um número suficiente é reunido, ou quando é necessário respirar, ele retorna a superfície para comê-las.
 
 
Fonte: wikipedia
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...