Sunday, May 19, 2013

Da cicuta à ricina - substâncias naturais são usadas como venenos há milênios

Cicuta - Produzida a partir do arbusto europeu Conium maculatum a cicuta é usada há milênios como veneno. Na Grécia antiga, era aplicada na execução de prisioneiros políticos. Em seu livro Fédon, Platão relata a morte do filósofo Sócrates, que foi condenado a ingerir a substância. 
 A cicuta ataca o sistema nervoso central, causando uma grande estimulação seguida de depressão, causando convulsões, dificuldades de respiração, paralisia e morte. Ela é consumida na forma oral, como pó ou líquido.
 Ricina - É obtida a partir da mamona e pode ser encontrada em forma de pó, pastilha ou dissolvida em água. É muito difícil entrar em contato com essa substância involuntariamente, os modos mais comuns de contato são o envenenamento intencional ou o consumo do fruto. A exposição à ricina pode acontecer por meio da inalação, ingestão, injeção ou contato com a pele.Uma vez no corpo, essa substância entra nas células e impede que elas produzam as proteínas necessárias para funcionarem e viverem. 
 

Os sintomas do envenenamento por ricina podem incluir dificuldade para respirar, febre, tosse, edema pulmonar, baixa pressão arterial, vômitos, diarreia, vermelhidão na pele e irritação nos olhos. A morte por envenenamento de ricina pode ocorrer dentro de 36 a 72 horas, dependendo da forma de contato e da quantidade da substância exposta.
 Estricnina - É um pó branco, sem odor e cristalino, que pode ser absorvido pela boca, respiração ou misturado em uma solução e aplicado em injeções. A substância é um veneno poderoso, e mesmo doses pequenas podem levar à morte. Os sintomas aparecem depois de 15 a 60 minutos da intoxicação. A substância impede a operação própria dos químicos que controlam os sinais que são emitidos pelos neurônios aos músculos, levando a fortes espasmos.
 A morte pode acontecer por asfixiam por causa da dificuldade de respiração. A estricnina é extraída da planta Strychnos nux-vomica, encontrada no sul da Ásia e Austrália. A substância foi sintetizada no século XIX, mas as propriedades venenosas da planta já eram conhecidas antes disso. Hoje, a principal aplicação da substância é como pesticida, para matar ratos.
Saxitoxina - É uma das substâncias mais tóxicas já conhecidas pelo homem — uma dose de apenas 0,2 miligramas pode matar um homem. A toxina é produzida por uma série de algas planctônicas microscópicas como o Alexandrium tamarense, Gymnodinium catenatum, e Pyrodinium bahamense. Essas algas, por si só, não costumam afetar os seres humanos. 
 Os problemas surgem quando elas são consumidas por moluscos, que concentram a substância em seu corpo e a transmite aos homens quando são consumidos na forma de comida. Quando isso acontece, os seres humanos sucumbem rapidamente aos seus efeitos, que bloqueiam a passagem do sódio pelas membranas dos neurônios. 

A mucosa bocal é amortecida em menos de 30 minutos e, logo em seguida, os sintomas evoluem para formigamentos pelo corpo, fraqueza muscular e vertigem. Em menos de 3 horas a pessoa pode morrer por causa da paralisia. Não existe cura, mas um homem pode sobreviver a seus efeitos com a ajuda de respiração artificial.  

A substância pode ser usada como arma biológica dessa, forma, pode ser até mil vezes mais tóxica do que gases sintéticos como o Sarin. Seu efeito é tão conhecido, que diz-se que a toxina é carregada por agentes  secretos na forma de cápsulas, para consumir caso sejam capturados pelo inimigo.

Fonte: veja/abril
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...