Thursday, May 30, 2013

10 espécies extremas de insetos

Grandes, pequenos, venenosos, verdes, coloridos. Atualmente, os insetos representam mais de 80% de todas as espécies animais, sendo que existem aproximadamente 900 mil tipos diferentes deles catalogados pela ciência. E há ainda uma estimativa de pelo menos um milhão de novos a serem descobertos. Com estes números tão significativos, confira uma lista com 10 espécies extremas de insetos:

1. Maior colônia de insetos: formigas argentinas
Formigas argentinas (Linepithema humile) foram agraciadas, recentemente, com o título de insetos com a maior colônia no mundo inteiro, cuja dominação pode rivalizar com a de seres humanos. Os cientistas descobriram que os membros da espécie que vivem em toda a América, Europa e Japão na verdade pertencem a mesma colônia, e se recusam a lutar entre si. Além disso, uma série de experimentos deu a entender que essas super-colônias podem realmente ser uma colônia de formigas mundial, já que seus membros não apresentam um comportamento hostil quando colocados juntos e reconhecem um feromônio familiar, apesar de estarem separados por milhares de quilômetros. Além disso, esse fenômeno incomum parece ter sido criado por seres humanos, que, inadvertidamente, levaram a espécie para todos os continentes.

2. O que mais faz barulho: barqueiro de água
Uma espécie de cigarra, o barqueiro de água (Micronecta scholtzi) é o animal mais barulhento da Terra. Apesar de toda a família da cigarra ser famosa por sua sonoridade (algumas espécies exprimem sons que chegam a 120db), o barqueiro de água, com apenas dois milímetros de comprimento, consegue fazer um ruído de 99,2 db, semelhante a quem está na linha da frente de uma orquestra ou a 15 metros de distância de uma britadeira.

3. Raridade: Inseto Vara da Ilha de Lord Howe
Encontrado entre a Austrália e Nova Zelândia, esta espécie é um exemplo do que os biólogos chamam de efeito Lazarus, quando se acredita que uma espécie extinta, mas ela é encontrada novamente mais tarde. A atual população de Dryococelus australis é calculada em torno de cinquenta bichos. Com uma população tão pequena, no entanto, continua a ser uma espécie criticamente ameaçada. O Jardim Zoológico de Melbourne, da Austrália, busca salvar o inseto e está conseguindo produzir mais de nove mil indivíduos dentro de sua criação.

4. Resistência mil: barata alemã
Que as baratas são insetos resistentes não é nenhuma novidade, afinal elas são capazes de sobreviver a uma explosão nuclear. Mas esta espécie, Blattaria germanica, conseguiu viver em um ambiente muito hostil: o cólon humano. A barata provavelmente chegou lá depois de ter sido inadvertidamente engolida por uma mulher de 52 anos enquanto ela estava comendo e, de alguma forma, conseguiu sobreviver às enzimas digestivas de seu estômago.

5. O mais temido: gafanhoto migratório
O gafanhoto migratório é, sem dúvida, a espécie mais temida de insetos conhecidos pela humanidade. Embora o mosquito seja responsável pela morte de mais humanos, o gafanhoto é um inseto que nos deixou horrorizados ao longo da história. Apesar de enxames de gafanhotos serem raros hoje em dia, as pragas continuam a ocorrer em algumas partes do mundo, como foi o caso em Madagascar, no ano passado, ou do surto de gafanhotos em 2004 que afetou vários países do Oeste e Norte da África e resultou em perdas de cerca de 2.500 milhões de dólares (cerca de R$5.035.000,00) na agricultura.

6. O voador mais rápido: Austrophlebia costalis
Esta espécie de libélula (Austrophlebia costalis) é campeã em velocidade de voo, cronometrado em 56 km/h. Embora existam afirmações anteriores de que o recorde seria de 96 km/h, a maioria dos especialistas discorda. No entanto, há muitos que consideram que o título de inseto mais rápido continua a ser disputado entre libélulas, mariposas falcão e mutucas, com várias medições não confirmadas sobre cada uma dessas espécies.

7. Migração mais longa: Pantala flavescens
Recentemente, as libélulas da espécie Pantala flavescens foram consideradas os insetos que realizam a mais longa migração, superando a da famosa borboleta monarca. Nos tempos de monções, essas libélulas viajam da Índia para a África Oriental e Austral e vice-versa, percorrendo um caminho de 14 mil a 18 mil km. A longa migração desses insetos torna-os uma fonte de alimento acessível para as aves migratórias, o que significa que, se alguma coisa acontecer a esta espécie, as muitas aves também serão afetadas.

8. Veneno mais poderoso: Pogonomyrmex maricopa, ou formiga cortadeira
A formiga cortadeira é o inseto mais venenoso do mundo, mas não representa qualquer ameaça para os seres humanos. Seu veneno é cerca de 25 vezes mais forte do que o mel de abelha, mas ela é entregue em pequenas doses, portanto, a formiga cortadeira é bastante inofensiva. É encontrada em todo os EUA.

9. O pequenininho: Dicopomorpha echmepterygis
Estas vespas são a menor espécie de insetos conhecida pela ciência. Nativas da Costa Rica, os machos da espécie medem menos de 0,14 mm de comprimento, aproximadamente o mesmo tamanho, se não menor do que o paramécio (espécie de protozoário ciliado) unicelular que normalmente encontramos nas águas do lago. Esta espécie alimenta-se de ovos de outros insetos.

10. O maioral: Weta gigante, da Ilha de Little Barrier, Nova Zelândia
Deinacrida heteracantha, ou weta gigante, uma espécie de grilo/gafanhoto gigante, natural da Nova Zelândia, ostenta o posto de maior e mais pesado inseto do mundo, com 71 gramas e mais 8,5 centímetros.

Fonte: hypescience.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...