Wednesday, April 24, 2013

Pinguim-Africano (Spheniscus demersus)

O Pinguim Africano (Spheniscus demersus) é a única espécie africana de pinguim, atualmente considerada vulnerável, dentre outros motivos pelos derramamentos de óleo na costa africana, apesar dos cuidados prestados pela Fundação Sul-Africana de Conservação de Aves Litorâneas. 
Vivem na costa sudoeste de África, contando com cerca de 60 centímetros de comprimento, e pesando entre 2,4 e 3,6 kg, um pouco mais leves que os pinguins-de-humboldt.

Têm uma faixa negra em volta da barriga branca e uma mancha preta no queixo e rosto separando da coroa por uma ampla faixa branca.

Os machos tendem a ser um pouco maiores que as fêmeas. Os filhotes têm uma coloração azul-cinzento.

Eles têm manchas vermelhas acima dos olhos, e alguns pontos negros aleatórios no tórax e na barriga.

Alimentação

Os pinguins Africanos se alimentam principalmente na parte mais rasa do mar, peixes como o biqueirão, sardinha, carapau e arenque, mas eles também comem lulas e crustáceos.

Quando na caça de presas, os pingüins Africano pode alcançar a velocidade máxima de perto de 20 km / h.

Reprodução

Os pinguins Africanos vivem em colônias. Eles começam a se reproduzir entre dois a seis anos de idade, mas normalmente em quatro anos. Ao contrário de muitas outras espécies de aves,os pingüins Africano têm um prolongado acasalamento.

Na maior parte das colônias de aves em algum estágio de reprodução, estará presente durante todo o ano. Existem amplas diferenças regionais, porém é no pico da época de reprodução na Namíbia (novembro e dezembro) e, tende a ser mais cedo do que o pico da África do Sul (março a maio). 

Os pinguins africanos são monógamos e, os mesmo par irão retornar geralmente para a mesma colônia, e muitas vezes no mesmo lugar do ninho de cada ano. Cerca de 80 a 90% dos casais permanecem juntos na reprodução e, nas épocas consecutivas, alguns são conhecidos por terem permanecido juntos há mais de 10 anos.

Eles costumam colocar dois ovos, embora não seja comum a sobrevivência dos dois filhotes. O período de incubação é de cerca de 40 dias,sendo que o pai e a mãe participam igualmente na incubação e nas funções. A duração da incubação e, muda de parceiros, depende da disponibilidade de alimentos no momento, mas é tipicamente cerca de dois dias e meio. 

Os filhotes de pinguim africano podem mudar de penas a qualquer momento a partir de 60 para 130 dias de idade, ganhando e, perdendo a suas penas cinza-azuladas.

Os adultos continuam a alimentar os filhotes, enquanto eles permanecem na colônia. Quando os filhotes saem eventualmente da colônia, eles os fazem sem os pais. Estes filhotes continuam longe de suas colônias natal perto de 12 a 22 meses, após o qual eles retornam, normalmente, com a plumagem mudadas para de adultos.

No final da muda de penas os pingüins regressão ao mar e, gastam cerca de seis semanas para engordar de novo.

Ameaças

Atualmente, existem 120 000 indivíduos na natureza. Este número é baixo, cerca noventa por cento do que era a sessenta anos atrás. As maiores ameaças para o Pinguim-Africano são derrames de petróleo, a pesca excessiva de águas circundantes pelas pessoas, e concorrência natural e predação.

Alguns Pescadores afirmam que estes pinguins competem com eles pelos peixes, mas devido ao pequeno tamanho do animal e os demais populações relativamente pequenas, que consomem apenas cerca de 2.900 toneladas de peixe por ano. Esse número é muito pequeno para ser prejudicial para os pescadores.

Distribuição Geográfica e Habitat

O Pinguim-Africano só é encontrado na costa da África do Sul. Eles se reproduzem em 24 ilhas entre a Namíbia e Port Elizabeth, África do Sul. No continente, há colônias de pingüins na Baía de Betty e Simonstown, África do Sul e na Namíbia.

O Pinguim-Africano vive nas latitudes mais quentes entre vinte e quarenta graus sul. Esta não é a única espécie de pinguim que vive em climas mais quentes. Existem várias outras espécies que vivem nas costas quentes da Nova Zelândia, América do Sul e as Ilhas Galápagos.

Quando não estão nas águas tropicais caça para o alimento, eles vivem nos costões rochosos, onde se reproduzem e cuidam de seus jovens.


Fonte: zoovirtualbr


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...