Saturday, December 8, 2012

Por que as pessoas mentem?

O que leva uma pessoa a trocar a segurança da verdade pela instabilidade da mentira? O que move o ser humano em direção ao desconhecido se existe a opção por um caminho direito? O problema da mentira é milenar e transcende culturas e épocas.
Mas não é decorrente de uma única causa, não brota de uma só fonte. A mentira tem contornos espirituais, como também causas patológicas, emocionais e psicológicas.
Você saberia dizer quando e porque aprendeu a mentir? Normalmente aprendemos isso desde a infância. As crianças mentem com frequência para seus pais, pois eles costumam punir quando elas falam a verdade sobre algo que os pais consideram errado. 

Então, elas podem aprender a mentir para, por exemplo, ter a oportunidade de brincar com um coleguinha que não é bem visto pela sua família, ou mentir sobre ter realizado a tarefa de casa para assistir ao seu desenho favorito.
Por tudo isso é que sofremos as consequências de ações mal planejadas e comportamentos inadequados que foram aprendidos pelas consequências reforçadoras de contextos em que foram geradas, mas, também, por vivermos em ambientes que favorece que tudo isso ocorra e por vezes até com incentivos, sem que sejam pensadas as consequências danosas que elas podem trazer individual e coletivamente.
Hoje, é difícil saber em quem acreditar. É difícil saber em quem confiar e em que palavras acreditar. As pessoas mentem.

Mas, piores são as pessoas que se afogam na própria mentira. Que mentem tanto que começam a acreditar na própria mentira e acreditam que os outros creem naquilo que ouvem.

Essas são as piores mentiras. As mentiras que se distorcem, as mentiras que criam vida própria e só vão aumentando, aumentando, feito uma bola de neve. Junto com elas vêm o medo. 

O medo de quem as criou. 

Mas, as máscaras sempre caem. É inevitável. Então é melhor acabar com a mentira antes que a mentira acabe com você.
Quem inventa muita história tem medo de rejeição e mania de agradar. Mentir para se livrar da culpa, para não causar discussões ou por medo de perder a confiança de uma pessoa querida é hábito entre muitas pessoas.

Mas ninguém leva em consideração o ditado popular que diz : "Mentira tem perna curta" e ao descobrir que você mentiu, a pessoa vai deixar de confiar em você, e pior, poderá nunca mais voltar a confiar.

Mas não precisa esperar que isso aconteça para abandonar a mania de mentir. O comportamento vira uma mania quando você menos espera. A culpa é um ótimo sinal de que está na hora de mudar, abandonando o hábito de inventar historinhas. “Infelizmente algumas pessoas fazem da mentira um hábito e se acostumam com isso. Quando a culpa aparece, é sinal de que o hábito está gerando desconforto e precisa, urgente, ser deixado de lado”.

Outro problema da mentira é que ela nunca aparece sozinha, precisa sempre de novas histórias para se manter viva.
Mentiras Saudáveis?
Sabe aquele papo de mentira saudável, ou mentirinha do bem? Pode esquecer. Todas as mentiras são prejudiciais para a imagem de uma pessoa e, em contrapartida, podem fazer mal para outras.

“Toda mentira enfraquece o caráter, fazendo uma pessoa ficar desacreditada de si própria, afinal ela não tem condições de sustentar as próprias idéias e precisa mentir”.

Não existe uma pessoa que possa afirmar que nunca contou uma mentirinha. Mas existe o extremo de quem não consegue ficar alguns minutos sem inventar uma nova história

No caso da mentira por ocultação existe uma fatia da realidade que foi diminuída, mascarada ou dissolvida para que parecesse menos ruim, ou seja, a realidade era muito pesada para ser expressa naquele contexto (claro que isso na visão do autor da mentira).

No caso da mentira por acréscimo, como as tradicionais histórias de pescador, a realidade é mais pálida do que aquela que foi demonstrada, ou seja, a pessoa se sente menos do que realmente é. Sem querer, muitas vezes pessoas se tornam lobos em pele de cordeirinhos.
Em qualquer um dos dois casos, o receio é o mesmo, não ser aceito por aquilo que se é ou faz. É a própria pessoa mentirosa que não consegue administrar o peso de estar distante do ideal que projetou para si.

Sempre olhamos a mentira sob a ótica da “vítima” como se a única responsabilidade fosse do autor. 

Existem pessoas bem frágeis para lidar com a realidade e que as maiores mentiras costumam ser contatas para pessoas rígidas e implacáveis no seu julgamento.

Se a pessoa que ouviu uma mentira tivesse um padrão de comportamento mais aberto e receptivo, as mentiras seriam menos frequentes e ela teria a chance de ouvir realidade desagradáveis. Lembre-se: mentiras trazem tristeza, dor e lágrimas....
A principal causa das “mentiras sem necessidade é a incapacidade do próprio mentiroso em lidar com suas emoções".

Para finalizar esse artigo, fica uma frase que nos traz reflexão diante da atitude de mentir: 
"Fiquei magoado, não por me teres mentido, mas por não poder voltar a acreditar-te." 
Portanto é melhor dizer uma verdade que seja desagradável, do que uma mentira que nada é do que uma verdade passageira e com graves consequências.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...