Sunday, November 11, 2012

'Lagoa azul' da Islândia - Spa termal no meio do gelo

Pense numa paisagem gélida, com amplos vales e montanhas cobertas de neve. Agora imagine deparar-se com uma enorme lagoa de águas quentes e vaporosas bem no meio do gelo. 
 Pois esse lugar existe e tornou-se um dos pontos turísticos mais procurados da Islândia: ele se chama Blue Lagoon (Lagoa Azul, em tradução livre).

Localizada na cidade de Grindavík, a 39 quilômetros da capital, Reykjavik, a lagoa atrai visitantes não apenas pela beleza, mas por suas propriedades medicinais. 
 São mais de 6 milhões de litros d'água em uma temperatura de aproximadamente 40°C, formando um spa geotérmico de 5 mil metros quadrados. 
 Além do efeito relaxante, a alta concentração de algas e sais minerais é eficiente no combate ao envelhecimento e no tratamento de doenças de pele. 
Não é difícil encontrar crianças e adultos encantados com as nuvens de vapor. O que poucos sabem é que a lagoa é resultado da ação conjunta entre as forças da natureza e a tecnologia. 
 A água - aquecida pelo magma vulcânico abaixo do solo - chega até a piscina natural com o reforço das turbinas utilizadas para abastecer toda a cidade com água quente. 

A coloração exuberante da água tem explicação geográfica: a lagoa se formou no único local do planeta onde oceanos subterrâneos afloram ao nível do solo. Vindas das profundezas, essas águas emergem a uma temperatura entre 36°C e 39°C.

Em um país onde a máxima raramente ultrapassa os 15°C (isso nos meses mais quentes), o local não demorou a se transformar em ponto turístico, quase tão famoso quanto os gêiseres que caracterizam a paisagem islandesa.

E é ali, à beira da lagoa azul, que está um dos mais concorridos hotéis do país, o The Blue Lagoon. Combinando uma arquitetura impecável com interferências mínimas na paisagem, o local tem como atração principal – claro – as águas quentes e suas propriedades medicinais.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...