Friday, November 9, 2012

Hidropônicos x Orgânicos

Considerados mais saudáveis do que os alimentos convencionais, eles disputam lugar na mesa do brasileiro.
Se alguém lhe oferecesse uma salada com folhas e legumes orgânicos e outra com hidropônicos, você seria capaz de reconhecer a diferença? Provavelmente não. Depois de prontos, os dois tipos de alimento parecem iguais. Mas, tirando o fato de ambos serem indicados como opção saudável por nutricionistas e médicos, eles têm pouca coisa em comum e proporcionam benefícios bem diferentes. 

Com a atual variedade de produtos nos supermercados, fica difícil para o consumidor não se confundir entre tantos nomes: natural, hidropônico, processado, orgânico... A seguir, veremos com mais detalhes cada uma dessas denominações.

Nos últimos anos, travam uma briga natural e crescente entre si e confundem os consumidores sobre quem é quem. Para entender definitivamente a origem e a essência desses produtos e saber se deveriam mesmo substituir os convencionais, conversamos com o agrônomo Ricardo José Schiavinato, da Associação de Agricultura Orgânica de São Paulo, e o especialista em Hidroponia Sylvio Luís Honório, professor da Faculdade de Engenharia Agrícola da Universidade de Campinas (Unicamp). 

Natural: Em princípio, vale lembrar de que toda verdura, fruta ou legume é natural, já que o homem pode apenas reproduzir plantas a partir de sementes ou outras partes de plantas, multiplicando-as através da agricultura. Ou seja, independentemente do sistema em que foram produzidos (convencional ou orgânico), do grau de contaminação ou da qualidade nutricional que apresentem, qualquer verdura, legume ou fruta é natural. Portanto, a palavra "natural" indicada nas embalagens não significa que o produto esteja isento de agrotóxicos e outras substâncias que trazem riscos para a saúde humana.

Processado: Os produtos lavados, cortados e embalados, usados para facilitar a vida da dona de casa, continuam sendo verduras e legumes convencionais, ou seja, que receberam agrotóxicos e adubos químicos; apenas já foram selecionados pela indústria. Atualmente, é possível encontrar produtos higienizados e processados que foram produzidos no sistema orgânico e que por isso, não contêm agrotóxicos nem qualquer outro produto potencialmente tóxico. Para encontrá-los, basta verificar na embalagem a palavra "orgânico" juntamente com o selo de uma instituição certificadora. Desta forma, o consumidor terá a certeza de que os produtos processados seguiram, de fato, todas as normas de produção que geram alimentos saudáveis, como são os orgânicos.

De onde eles vêm
 
A grande diferença está na sua origem, na forma como são cultivados. Os hidropônicos não precisam da ajuda do solo para crescer. Em estufas transparentes, que permitem a passagem de luz e podem ser colocadas até no quintal de casa, a raiz de legumes e verduras é mergulhada em solução nutritiva (água e adubo químico solúvel). "Este sistema dificilmente precisa de aplicação de defensivos agrícolas", garante Sylvio.

Já os orgânicos são cultivados na terra, porém à moda antiga, sem o uso de adubos químicos e agrotóxicos. Os agricultores utilizam recursos da própria natureza, preservando o meio ambiente, mesmo quando a plantação é atacada por pragas. "Recorre-se ao uso de plantas conhecidas como inseticidas naturais, que não causam prejuízos ao ser humano, ou predadores (fungos e insetos) comuns à cadeia alimentar da região", explica Ricardo.

A higiene é o argumento mais forte de quem defende a hidroponia. Além de não serem expostos a microorganismos encontrados na terra, como coliformes fecais (restos de fezes), os alimentos cultivados em água são embalados imediatamente após a colheita. Isso evita o manuseio do produto até chegar ao consumidor. Os hidropônicos costumam ainda ser mais bonitos e resistentes. "Como são vendidos com a raiz, perdem menos água e duram até cinco dias a mais na geladeira", explica o professor da Unicamp.

Os hidropônicos nascem na água e os orgânicos, na terra. Por isso, cada um possui características bem específicas

Diferenças indiscutíveis


Os orgânicos, por sua vez, têm a produção controlada por órgãos que emitem certificado de qualidade, após avaliação dos locais de plantio. Portanto, obedecem normas rígidas que garantem, entre outras coisas, a inspeção periódica da água, do solo e dos produtos. Embora não exista comprovação científica, há quem diga que são mais saudáveis. "Ao preservar a natureza, aumentam até 50% seu valor nutricional", acredita Schiavinato.

Mas antes de fazer sua escolha é importante saber também que há pontos fracos tanto em um como no outro. No caso dos hidropônicos, a falta de monitoramento rigoroso do PH (nível de acidez) da água e da concentração de nutrientes poderia comprometer as plantações e, depois, a saúde das pessoas.

Em relação aos orgânicos, a carência de pesquisas por parte dos agricultores para saber se o solo e o clima são propícios a determinadas plantações impede que a produção cresça e seja aperfeiçoada. Também é isso que faz um tomate orgânico ser menor e mais feio do que o convencional. Em relação ao preço, ambos deixam a desejar. O modo 'artesanal', a concentração de plantações no sudeste do Brasil, entre outros aspectos, tornam esses tipos mais caros. E então, quem vence a parada? Confira a seguir o raio X de cada um deles.

AS DIFERENÇAS VÊM DO BERÇO

Hidropônicos: luz e água fresca para vários tipos de folhas verdes e até arroz
 
Origem: surgiram com estudos de agrônomos sobre a fisiologia vegetal. Em 1930, um pesquisador da Universidade da Califórnia nos Estados Unidos foi o primeiro a comercializar o produto. No Brasil, a hidroponia chegou ao mercado só em 1987. E o 1o Encontro de Hidroponia Nacional foi realizado em 1995, na Universidade de Campinas (Unicamp).

Particularidades: também podem ser plantados em sistemas abertos, sem o auxílio de estufas - apenas com luz, água e adubo químico. Mas, neste caso, as plantações ficam mais suscetíveis ao ataque de pragas e às variações de temperatura. E, nesse caso, os defensivos agrícolas têm que entrar em cena, não podem ser dispensados.

Produtos mais comuns no Brasil: diferentemente do que muitos imaginam, a hidroponia não é aplicável apenas às folhas. A alface ainda é a mais cultivada, mas também existem repolho, couve, pepino, berinjela, melão e arroz, entre outros.

Onde comprar: especialmente em feiras livres e supermercados. Dica: de acordo com lei brasileira vigente desde 2002, sobre as boas práticas em produção agrícola, esses alimentos precisam estar acondicionados e com informações completas e visíveis sobre sua procedência. As embalagens também devem ser feitas de material lavável e, se forem descartáveis, outra exigência é que sejam recicláveis. Tudo pelo natural!

Orgânicos: verduras, legumes e frutas, entre outros alimentos de bem com a natureza

Origem: seu conceito começou a ser divulgado entre 1925 e 1930. Mas a produção, na prática, teve início a partir da década de 80, atingindo o auge nos anos 90, com o crescimento de pesquisas em prol do desenvolvimento sustentável e das normas agrícolas ecologicamente corretas.

Particularidades: quem acha que o termo abarca apenas frutas, legumes e verduras talvez se surpreenda ao encontrar leite, queijo e até carne orgânicos. É que esses produtos vêm do que se tem chamado de boi verde, animal encontrado principalmente na região centro-oeste do país e criado da maneira mais natural possível. Acredite: entre outros mimos, o bichinho é tratado com homeopatia, o que garantiria maior saúde para ele e, conseqüentemente, para a carne que é consumida.

Produtos mais comuns no Brasil: alface, rúcula, agrião, berinjela, milho, cenoura, tomate, morango, carnes, leites, cogumelos, mel e queijos.

Onde comprar: hoje existem feiras especializadas neste tipo de alimento, que são realizadas principalmente em São Paulo e no Rio de Janeiro (os dois maiores mercados internos de orgânicos). Também podem ser encontrados em supermercados e algumas lojas de produtos naturais. A novidade são os serviços de entrega em casa: só na capital paulista já existem pelo menos 15 deles à disposição.

Fonte: Viva Saúde Digital
            Fernandascheer

Bem, amados leitores do nosso Blog... Fiquei a semana toda pesquisando pra ver se encontrava uma fonte de alimentação totalmente saudável... Queria postar algo assim...

Postei sobre Alimentos Hidropônicos, Alimentos Orgânicos, Produtos Transgênicos e outros tipos de alimentações e acabei chegando a conclusão que totalmente saudável, não encontramos mais nada, pois em tudo encontramos os prós e contras. É por isso que nosso ciclo de vida vai diminuindo cada vez mais.

Bem,  reflitam muito... e façam a melhor escolha ;-)
Eu acho que vou viver de Luz, rsrs... E você??!?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...